PASSEIO

LOURINHÃ - PENICHE - SANTARÉM -   INSCREVA-SE!

No próximo dia 06 de Maio saíremos de Loures pelas 8h00 da manhã com destino à simpática Vila da Lourinhã onde visitaremos no Museu as exposições de fósseis de Dinossauros e também uma coleção etnográfica que inclui ferramentas e utensílios das profissões dos nossos pais e avós. Retomaremos 20 minutos de caminho tendo a cidade de Peniche como destino de almoço (livre). Propomos de seguida e de forma gratuita uma visita à célebre Fortaleza de Peniche e ao imponente Cabo Carvoeiro. De seguida, seguiremos para a Santarém até à igreja da Graça, um dos mais importantes exemplares nacionais de arte gótica e onde está o túmulo de Pedro Álvares Cabral. Terminaremos este passeio no bonito Jardim das Portas do Sol antes do regresso a Loures, com chegada prevista para as 22:00h.

Inscrições na sede - 219 830 832

Sócios    - 5,00€   |   N/sócios - 7,50€  |  Crianças até aos 12anos - 3,75€



O Museu da Lourinhã possui das maiores coleções ibéricas de fósseis de dinossauro do Jurássico Superior (150 milhões de anos) e uma das mais importantes a nível mundial. Entre elas contam-se vários ovos fossilizados contendo os mais antigos embriões de dinossauro conhecidos em todo mundo. A colecção Etnográfica centra-se no modo de vida e nas principais actividades praticadas na região desde os finais do século XIX ao século XX, abrangendo: profissões (algumas das quais já extintas), agricultura e pescas, Coletividades, arte sacra e casa saloia.  A entrada no Museu tem o custo de 2€

A Fortaleza de Peniche albergou uma prisão política de segurança máxima durante a vigência do Estado Novo e tornou-se palco de duas célebres e espetaculares fugas. É nela que funciona o Museu Municipal, exibindo o seu património arqueológico, etnográfico, histórico, pesca e construção naval. No chamado Núcleo da Resistência, pode ser visitada parte da prisão política (celas individuais e parlatórios). Neste último, os visitantes podem ver a cela onde esteve preso Álvaro Cunhal, e alguns dos seus desenhos a carvão, bem como o local por onde se evadiu em 1960. No exterior é forçoso visitar-se o Baluarte Redondo, que foi utilizado como zona de isolamento, conhecido como “o segredo” pelos ex-presos políticos.